Foto: Antonio Carlos Pereira Costa

O governo de São Paulo prorrogou o prazo para a finalização das obras do trecho norte do Rodoanel Mário Covas para 2022.

Em dezembro de 2018, o prazo para a conclusão das obras já havia sido estendida para 2019. O trecho deve ser inaugurado com oito anos de atraso.

As obras devem ser retomadas até o fim desse ano, de acordo com anúncio da Secretaria Estadual de Logística e Transportes durante audiência pública para anunciar como será o edital de retomada das obras.

O trecho de 44 km continua dividido em seis lotes, os mesmos do início do projeto. Vence a empresa ou consórcio que oferecer o menor valor para fazer o que ainda falta em cada um dos lotes e consertar as falhas indicadas pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas, feito a pedido da Secretaria de Transportes e Logística. O laudo apontou 1291 problemas no que já foi feito. 59 deles considerados grandes.

As falhas apontadas no relatório pelo instituto foram encontradas nos seis lotes da obra que deverá ligar a rodovia Presidente Dutra ao aeroporto de Guarulhos e à rodovia dos Bandeirantes. As empreiteiras que tocaram esses trechos são a Mendes Júnior/Isolux, OAS, Acciona e Construcap/Copasa.

Parte dessas empresas sofreram forte revés após serem investigadas na Operação Lava Jato, tendo sido alijadas de acessos a financiamentos. Tanto a Mendes Júnior como a OAS estão em recuperação judicial.

De acordo com o planejamento do governo, as obras seriam retomadas em outubro desse ano e o trecho norte, que deveria estar pronto desde 2014, seria, finalmente inaugurado em 2022. O trecho já custou R$ 7,3 bilhões e, pelas contas do governo, para concluir o projeto serão gastos ainda cerca de R$ 2 bilhões.

A obra toda foi anunciada por R$ 6,5 bilhões, no início do projeto, e, agora, vai custar cerca de R$ 10 bilhões.